Seu armário era seu divã

As vezes ela queria ser pendurada
Como uma camiseta
As vezes ela queria ser zelada
Como aquela camisa dos 12 anos
As vezes ela queria ser perfumada
Como aquele pijama, não importa nada,
ele estará sempre com aquele cheiro de cama macia
As vezes ela queria ter a coragem e a imponência
Como aquela jaqueta de couro, que não importa quantos rasgos tenha, 
tão puída esteja...
As vezes ela queria ter o balanço para essa vida doída
Como aquela saia ali, ali óóóó, bem ali
As vezes ela queria ser dura e firme
Como aquele jeans que não cede nunca (jamais)
As vezes ela não queria ceder e se encaixar em tudo
Como aquela calça de stretch, que parece mais mole que doce de banana
As vezes ela queria ser cuidada
Como aquele vestido que, só ele é.
Receber aquela capa protetora e ser celebrada como vitória,
como cada parcela dele fora paga. 
Com a mesma lembrança alegre da primeira noite, quando fora desfilado
Seu armário era seu divã
E como bom divã a menina levara horas e horas
Dentro dele, tão dela.
Ela.
L.L.
closet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s